Dicas de Rodas de Samba e Choro no Rio de Janeiro

 Por Christina Paz

Segunda-feira

Batuque na Cozinha, Pedra do Sal (Rua Argemiro Bulcão,38 Gamboa. 18 h) - A expressão “cara de segunda-feira” não funciona se você começar a semana na Pedra do Sal, outrora reduto de Pixinguinha e João da Baiana. O grupo Batuque na Cozinha reúne músicos e compositores todas as segundas. “A idéia é cantar alguns sambas que não tocamos em nossos shows, além de reunir alguns amigos para cantar alguns inéditos”, explica André Corrêa, do Batuque. A roda não tem microfone por conta da vizinhança, que volta e meia atira ovos no público. Mas isso em nada abala o bom clima da roda. A cozinha do bar é excelente.

Bip-Bip (Rua Almirante Gonçalves, 50, Copacabana. 20h) –

O Bip Bip mantém uma roda de chorinho. O bar é pequeno. As paredes são decoradas com fotos interessantes, de gente da antiga, como João Nogueira e Roberto Ribeiro abraçados com a camisa do “Clube do Samba”. “Comecei isso aqui com ajuda de gente como Cristina Buarque e Elton Medeiros”, diz Alfredo Mello, dono do bar há 14 anos. O Bip bip já teve um livro lançado sobre sua história (“Um bar a serviço da amizade”) e um cd. A renda de ambos foi revertida para projetos sociais que o bar participa.

Terça-feira

Beco do Rato (Rua Morais e Vale, 5, Lapa. 20h) - Muitos dos músicos que tocam segunda-feira na Pedra estão por lá. A roda também é levada no gogó. “Quando começamos a roda aqui no beco, queríamos resgatar o clima da Joaquim Silva de dez anos atrás”, diz o percursionista e compositor Mingo, que tem músicas gravadas pelo Batuque na Cozinha e Galocantô. Dando sorte, você presencia duelo de partido-alto (artigo raro nas rodas) entre Baiaco, Chacrinha, Café e Bananada, o faz tudo da casa. Dica: o caldinho de feijão do bar em frente é a pedida.


Quarta-feira

Projeto Samba na Fonte, Pedra do Sal - Voltando à Pedra, tem o projeto “Samba na Fonte”. “A idéia é fazer daqui um celeiro de compositores”, argumenta Ferreira, um dos organizadores da roda, que já teve suas composições nos discos de Wanderley Monteiro e Galocantô. Para o final de abril existe o projeto de um site e um disco, com os seis autores de maior destaque da roda.
Bip-Bip – O simpático bar da zona sul volta ao passado e faz uma roda de Bossa Nova.

Sexta-feira

Samba  Luzia

Roda de samba comandada pelo músico e compositor Moacyr Luz, acompanhado dos músicos do Clube Renascença ( da Tijuca).
Local: Clube Samba Luzia, Av. Almirante Silvio de Noronha,  300, Aterro do Flamengo, atrás do Aeroporto Santos Dumont. Tel.: (21) 22208580 . Rio de Janeiro.


Sábado

Grupo Mesa Bamba - O grupo promove há um ano e meio uma roda mensal na Rua São Manoel, esq. com rua Fernandes Guimarães, em frente à Praça Compositor Mauro Duarte, em Botafogo (informações: 21-8788-2907), no segundo sábado de cada mês, das 17 às 22h. Grátis.


Domingo

Samba no Flamengo Todos os domingos,18:00h, no Bar Falabessa, Rua Marquês de Abrantes, 192 - Flamengo , com os músicos Makley Matos (voz), Marlon Mouzer (violão), Marcelo Amaro (percussão) e Gabriel (cavaquinho).

 

Pra Dançar ou Sambar no pé:

Grupo Agita Samba  (aos domingos) a;partir das 19 hs.

Local:  América Futebol Clube

Rua Campos Sales, 118 - Tijuca | Rio de Janeiro | Tel. 21 2567-7478 | Fax.: 21 2569-2160.

 

Samba de gafieira/ Dança de Salão: (programação variada durante toda a semana)

Estudantina  Musical (Salão Maria Antonietta).

Endereço: Praça Tiradentes, 79 Centro

Tel.: (21) 2507-5131