A arte das guitarras

 

Carlos Crepalde

 

 

 

 

Carlos Crepalde, também conhecido como Carlim Gipão, é um artista plástico Alvinpolense que faz um trabalho bastante original. Pelo que nos contou, o apelido era de um irmão seu e acabou pegando foi nele. Carlinhos é irmão de Ricardão, Reinaldo, Adilson e Sueli da rua de cima. Uma familia Extremamente musical e unida.

Filho do Sr Bené de dona Anelina da Rua do Canto e da Dona Maristela do Seu Nôca, um dos casais mais cordatos e educados que Alvinópolis já conheceu.

Carlinhos sempre teve uma veia artística muito desenvolvida, juntada a oportunidade de crescer numa cidadezinha extremamente compromissada com a cultura.

No grupo de cima, já se destacava entre seus colegas como exímio desenhista e no Colégio Cândido Gomes também não foi diferente. Além dos talentos para o desenho, também tinha talento para a música, seja como ritmista, músico de sopro ou com seu violão, sendo um dos fundadores do Grupo Verde Terra, com o qual viajou por todo o estado de minas.

 

 

 


Como foi o seu interesse dele pela arte, por fazer esculturas.
Veio surgindo aos poucos.

Sempre mantive uma pequena oficina, onde fui adquirindo algumas máquinas e ferramentas para passar o tempo e fazer reparos diversos.

Paralelamente, sempre gostei de caminhadas e pescarias, onde passei a observar as formas interessantes dos troncos e raízes encontrados aos milhares nos locais onde nós, homens, passamos detonando tudo com a delicadeza de nossas mãos.

Daí veio surgindo a idéia de criar as peças.

 

Frequentou alguma escola?

Não, mas tenho planos de fazer um curso de pintura em tela.

 

Como você definiria o seu estilo ? Quem o inspirou ?
Abstrato, e quanto a inspiração, diria que é simplesmente a observação do meio que convivemos.

 

 


Porquê
guitarras?

O fato é que não consigo enxergar um mundo sem a música. Ela esta presente em tudo e em todos os meus momentos, seja no trabalho, lazer etc.

O fato de escolher a guitarra (ou o violão), é porque, se observarmos bem, veremos que ele é o instrumento que representa a musica universalmente, tanto que podemos observar que a maioria das imagens escolhidas para ilustrar qualquer evento relacionado a musica, la encontraremos o violão, de várias formas.

Daí  que o fato de criar guitarras é simplesmente uma homenagem à Música, uma forma de relacionar o meu trabalho com a mesma.

 


Com a internet hoje, ficou mais fácil para um artista divulgar o seu trabalho?
Com certeza, temos hoje em dia nas mãos a possibilidade de divulgação eficiente e o que é melhor, grátis, sem limite territorial, o que nos da oportunidade do mundo inteiro ter acesso ao que fazemos, muitas das vezes sem a gente nem mesmo estar sabendo quem e onde nosso trabalho esta senso avaliado, o que nos trás ótimas surpresas de vez em quando.


Você acredita na internet como meio pra vender seus trabalhos ou é nas
feiras mesmo que consegue
comercializar ?

Sim, mas uma não é eficiente por si só, é necessário levar a arte (ao vivo e palpável) onde o povo esta, e a internet é apenas um suporte para isto.

 



Poderia nos dizer; em termos de preços, como estão valorados os seus trabalhos ?
Na verdade, o meu foco no momento não é o comercio das peças, e sim a divulgação das mesmas, bem como entrar no circuito de exposições em galerias, sendo que somente depois desta etapa, pensarei na questão comercial.


Você faz também sob encomenda ou apenas trabalhos artísticos de
inspirações próprias
?

Embora ainda não tenha tido um contato para uma encomenda específica, acho que é possível sim, atender a um trabalho deste tipo.
 

Você vive de arte ou tem outra profissão?

Eu sou servidor público, e no momento mantenho o atelier com meu salário,e como disse anteriormente, o meu foco no momento é divulgar o trabalho,  esperando o retorno de tudo isto mais adiante, inclusive quando estarei me aposentando.

 

 

Em que Alvinópolis influenciou na sua arte?
Alvinópolis não me influenciou só na arte, posso dizer que o que sou como pessoa, meus princípios e tudo mais foram moldados nesta singela cidade, que me deu oportunidade de crescer no meio de pessoas autenticas, leais, companheiras.


O que você gosta de lembrar dos tempos de Alvinópolis?
Principalmente o período escolar, nosso querido GRUPO DE CIMA, onde conheci tantas e tantas pessoas as quais nutro grande amor e admiração eternamente.


Algum caso de Alvinópolis que sempre conta para os amigos?
Sempre me lembro da chegada do Grupo Verde Terra a Alvinópolis, no dia sete de setembro, quando sem querer invadimos e tumultuamos o desfile das escolas que estava sendo realizado para o dia da independência, e como fomos compreendidos e recepcionados por todos que ali se encontravam.

 


Tem alguma dica para as pessoas da terra que queiram se tornar artesãos?

Hoje a grande dificuldade do artista é que praticamente tudo já foi inventado e experimentado na arte, o que dificulta o mesmo ter uma identidade própria.

A minha dica é: Acreditar em si próprio, ter paciência (nenhum resultado vem da noite para o dia), ousar cada vez mais, buscar os meios de conhecimento necessários ao que se pretende produzir, excluir do dicionário as palavras IMPOSSÍVEL, NÃO CONSIGO e NÃO SEI, ai não haverá barreira que impeça a realização do projeto que se tem em mente..


Qual cd, livro ou filme você gostaria de recomendar aos alvinopolenses?
È uma questão delicada, pois tem muita coisa boa por ai.Eu indicaria no momento o grande Vander Lee, que em breve se tornará um ícone da musica brasileira e indicaria também aos que não conhecem, pesquisar o trabalho do Grupo Verde Terra, cuja participação muito me honrou e fez crescer musicalmente, devendo a esta experiência grande parte do que sou  hoje.

 

Como foi seu reencontro com Alvinópolis depois de tantos anos?
Foi uma oportunidade maravilhosa, sendo um dos momentos mais marcantes para mim nos últimos tempos, ter a oportunidade e o prazer de reencontrar pessoas as quais prezo muito.

Tenho que comentar um ponto negativo que observei: Estão destruindo as casas antigas da cidade, isto é um sacrilégio que deve ser contido imediatamente, pois do contrario, será a aniquilação da cidade em termos históricos e turístico.

 


Qual a mensagem deixaria para os Alvinopolenses ?

Que sintam grande orgulho da cidade e da comunidade a qual pertencem, buscando sempre se integrar à mesma, de modo que cheguemos ao milésimo aniversario dessa, como um povo que cultiva a hospitalidade, a cultura e a sabedoria de ser um autentico MINEIRO.

Deixo também o meu agradecimento pela oportunidade de estar aqui com vocês, me colocando a disposição para qualquer coisa.Abraços a todos.

 

Contatos : chcrepalde@gmail.com

Mais sobre o seu trabalho  pode ser visto no site CARLIMCREPALDE.BRASIL.VC ou na sua página CARLIM CREPALDE no orkut.

Telefones: (31) 3632-1602 ou 9666-3897.