Do inferno ao céu rapidamente...

 

Nos dias de hoje a vida está muito difícil pra todos.

Para se conseguir vencer  é necessário saber lutar entre os que competem ao seu lado.

As armas para cada um são diferentes, mas o que move realmente a nossa vida é a competição, com vitórias e os fracassos, coisas que podem acontecer no mesmo dia, na mesma hora ou talvez, numa questão de segundos.

Na área de informática por exemplo, pode-se usar muito bem seu computador pessoal hoje e amanhã cedinho, tudo parou de funcionar.

Na vida amorosa, hoje tudo bem, amanhã talvez, diferenças.

No esporte, esses exemplos ficam mais claros, mas servem para nos fazer enxergar que tudo é possível, basta não desistir de alcançar o que se deseja.

Semana passada, maior campeonato de clubes do mundo, a famosa Copa Européia de Clubes, Champions League, com os times mais poderosos do mundo, mais ricos e com o maior número de craques.

Se encontraram numa dessas últimas terças-feiras, Fenerbahçe (Turquia ) e Chelsea (Inglaterra).

O Fener que contratou vários jogadores brasileiros, Alex “o talento azul”, como diria o narrador da Itatiaia Alberto Rodrigues,

Kazim e Deivid

Dracena, Lugano, Roberto Carlos(sem abaixar pra arrumar a meia), Maldonado, Wederson e Zico de treinador.

Os “viúvos” cruzeirenses todos torcendo para o Fenner, relembrando principalmente 2003.

Do outro lado, só craques de seleções nacionais, como Drogba(Senegal), Essien(Gana), Shevchenko (Ucrânia), Ballak (Alemanha), fora os ingleses Lampard, Terry e Joe Cole.

Eis que no meio de tantas estrelas internacionais, o Fener estava cotado para tomar um baile, já que o potencial do Chelsea é hoje indiscutivelmente o maior do planeta.

Perfilado entre os canários do Fener, estava  Deivid, atleta tímido, que nas entrevistas no Cruzeiro, muitas vezes não conseguia falar, batia uma gagueira danada.

Tocam os hinos e uma atmosfera incrível domina o estádio 'caldeirão' do Fener (Şükrü Saracoğlu), na capital da Turquia, Istambul.

Amarelo e azul dominan o estádio, num barulho terrível.

 

Começa o jogo e a equipe do Chelsea impõe sua maior tradição, dominando o jogo.

A equipe do Fenner parecia assustada e todos os jogadores corriam como loucos, tentando defender o patrimônio turco.

Num lance pela esquerda, Deivid, que é atacante, estava dentro da  sua área defensiva, para cortar um cruzamento, e num reflexo rápido, toca para o fundo das redes.

Gol, só que contra.

Todos do time turco ficaram abalados, mais ainda o tímido Deivid.

Isso acontece à todo momento conosco, no nosso trabalho, na escola, enfim na vida.

Os problemas inesperados, que chegam de repente.

Só que uns preferem se abater e achar que tudo está perdido. Outros buscam forças ainda maiores para reverter o quadro e mostrarem que realmente podem se sobressair.

Apesar de todos acharem que Deivid se abateria, eis que vem o segundo tempo do jogo.

O Fenner empata em 1 a 1 com Kazim.

Já aos 30 minutos do segundo tempo, Deivid, o massacrado pelo destino, surge com um chute fenomenal, indefensável, como vocês poderão ver clicando no link abaixo.

Golaço.

Do inferno ao céu em apenas uma partida de futebol.

Reagiu e buscou seu melhor.

Site Espn Brasil : http://espnbrasil.terra.com.br/videos/video.aspx?idVideo=1826

 

Outro exemplo é o Felipe Massa na fórmula 1.

Errou nos 2 primeiros GPs do ano, foi crucificado, seu semblante era péssimo.

Chamado de incompetente para dirigir uma Ferrari, outros foram especulados para o seu lugar. Praticamente ‘emprego’ perdido.

Felipe Massa

Hoje cedo provou que tudo pode mudar.

Podemos tomar vários tombos mas nunca devemos achar que tudo está perdido.

Assim, independente do que aconteça, faça sua história.

Acredite no seu potencial e busque melhorar a cada dia.

A sua hora vai chegar.

 

Por fim, chego na nossa querida Alvinópolis.

Na minha ótica, há muito não existem motivos para nos orgulhar da nossa terra.

No esporte, nem do JIMI participamos mais.

Nosso campeonato, que não é de pontos corridos, termina em confusão.

Uma briga política se esquece que o potencial da nossa terra é infinito.

Nossas tradições estão morrendo devagarinho.

Deveríamos estar brigando pela influência na região.

Mas estamos sendo, a cada dia, mais influenciados.

As cidades à nossa volta sempre melhorando, fazendo parcerias, criando novas perspectivas, investindo no turismo, enfim, buscando valorizar o que há de bom.

Esperamos que este momento seja parecido com os momentos esportivos, onde exista a opção de reagir.

Reage Alvinópolis.

 

Saudações Alvinopolenses.

 

Astromar Junqueira.