Uma visita ao Museu da Língua Portuguesa

 

Gjunior

 

 

 

No último mês de setembro tive o prazer de visitar o Museu da Língua Portuguesa, que fica na Estação da Luz, em São Paulo.

Uma experiência incrível, que me inspirou a contar um pouquinho aqui no site.

A visita é uma viagem pela história do Brasil, falando sobre a origem e a evolução da Língua Portuguesa durante os anos, mostrando suas características e influências regionais de acordo com a colonização do país.

Para quem tiver a oportunidade de ir a São Paulo, um programa imperdível.

 

 

Informações sobre o Museu da Língua Portuguesa.

 

Fonte : www.museulinguaportuguesa.org.br

 

Inaugurado oficialmente no dia 20 de março, o Museu da Língua Portuguesa abriu suas portas ao público no dia 21 de março de 2006. Em seus três primeiro anos de funcionamento mais de 1.600.000 pessoas já visitaram o espaço, consolidando-o como um dos museus mais visitados do Brasil e da América do Sul.

O Museu contou com uma equipe de criação e pesquisa composta por mais de trinta profissionais qualificados, dentre eles sociólogos, museólogos, especialistas em língua portuguesa e artistas que trabalharam sob a orientação da Fundação Roberto Marinho, instituição conveniada ao Governo do Estado de São Paulo responsável pela concepção e implantação do museu.

Seu projeto foi avaliado em aproximadamente R$37.000.000,00 (trinta e sete milhões de reais) que foram usados para financiar a criação, pesquisa, implantação do museu e restauro do Prédio da Estação da Luz. O projeto arquitetônico é de autoria de Pedro Mendes da Rocha e Paulo Mendes da Rocha.

O Museu da Língua Portuguesa, dedicado à valorização e difusão do nosso idioma (patrimônio imaterial), apresenta uma forma expositiva diferenciada das demais instituições museológicas do país e do mundo, usando tecnologia de ponta e recursos interativos para a apresentação de seus conteúdos.

Os principais objetivos do Museu da Língua Portuguesa são:
- mostrar a língua como elemento fundamental e fundador da nossa cultura;
- celebrar e valorizar a Língua Portuguesa, apresentada suas origens, história e influências sofridas;
- aproximar o cidadão usuário de seu idioma, mostrando que ele é o verdadeiro “proprietário” e agente modificador da Língua Portuguesa;
- valorizar a diversidade da Cultura Brasileira;
- favorecer o intercâmbio entre os diversos países de Língua Portuguesa;
- promover cursos, palestras e seminários sobre a Língua Portuguesa e temas pertinentes;
- realizar exposições temporárias sobre temas relacionadas à Língua Portuguesa e suas diversas áreas de influência.

 

 

 

 

Sobre a Estação da Luz.

 

A Estação foi construída no fim da século XIX com o objetivo de sediar a recém-criada Companhia São Paulo Railway, de origem britânica, assim como de se constituir na parada paulistana de sua linha ferroviária, a qual ia de Santos, no litoral do estado, a Jundiaí, no interior. Nas primeiras décadas do século XX, foi a principal porta de entrada à cidade de São Paulo. Sua maior importância, no entanto, era na condição de infra-estrutura econômica para o país: por ali passava o café a ser exportado no porto de Santos, assim como também ali chegavam bens de consumo e de capital importados que abasteciam a cidade (em uma fase ainda pouco industrializada).

A atual Estação foi construída entre 1895 e 1901, no lugar da original Estação da Luz de 1867. Presumivelmente escolhida em um catálogo inglês pelas autoridades locais, a estrutura metálica de ferro fundido que lhe dá sustentação foi trazida da Inglaterra, por meio de peças pré-moldadas e montada aqui - a alvenaria da estação, no entanto, é de origem local. Seu projeto é atribuído ao engenheiro inglês Henry Driver, sendo similar à Flinders Street Station, uma estação existente em Melbourne, Austrália.

Na década de 1940 a Estação sofreu um incêndio e após a reforma, foi-lhe adicionado um novo pavimento no bloco administrativo. A partir deste período, o transporte ferroviário entrou em um processo de degradação no Brasil, assim como o bairro da Luz, levando a Estação a igualmente degradar-se.

Nas décadas de 90 e 2000 passou por uma série de reformas, uma das quais encabeçada pelo arquiteto Paulo Mendes da Rocha e seu filho Pedro Mendes da Rocha - a qual teve como intenção adaptá-la a receber o Museu da Língua Portuguesa.

 

 

 

  

A visita

 

Ao chegar a Estação da Luz, famosa estação metro-ferroviária, localizada no bairro da Luz, na cidade de São Paulo, você já fica impressionado pela beleza da construção arquitetônica  grandiosa.

O Museu fica localizado numa parte da Estação, constituído de 3 andares muito bem distribuídos.

 

No dia da visita, o primeiro andar homenageava o ano da França no Brasil, com homenagens aos escritores franceses e a influência da cultura francesa no nosso país.

 

 

 

 

 

No segundo andar, um incrível viagem pela origem das palavras, da influência regional na língua portuguesa, das adaptações realizadas para o português  brasileiro, tudo voltado para a história do nosso país relacionada à língua.

 

 

 

 

No terceiro piso, um grande espaço cultural, onde você acompanha um filme de 30 minutos sobre a origem das línguas no mundo e artista famosos lendo poemas e contos.

Em seguida, há uma apresentação diferente, homenageando escritores brasileiros no fundo do teatro, com imagens projetadas nas paredes e leituras realizadas num avançado sistema de som.

 

Telão de 100 metros de comprimento. Vídeos relacionados á língua de acordo com as regiões, valorizando as festas tradicionais do país, sotaques e o coloquialismo.
Grande teatro com poemas escritos no chão.

 

 

Foram 3 horas de muita informação, onde me lembrei a todo momento das pessoas que gostam de ler e escrever, das minhas professoras de português em Alvinópolis, enfim, em como poderia dividir um pouco dessas informações com meus conterrâneos.

 

 

Beco das Palavras

 

 

 

 

 

Serviço

Fonte : www.museulinguaportuguesa.org.br


Endereço
Praça da Luz, s/nº - Centro - São Paulo - SP CEP: 01120-010
Telefone:(11) 3326-0775

E-mail:museu@museudalinguaportuguesa.org.br


Horário
Bilheteria: terça a domingo, das 10h às 17h.
Museu: fecha às 18h.
Não abre para visitação às segundas-feiras.

Preço do ingresso
R$ 4,00 (quatro reais)

Estudantes com carteirinha pagam meia-entrada
Professores da rede pública com holerite e carteira de identidade são isentos
do pagamento do ingresso;

Crianças até 10 anos e adultos a partir de 60 são isentos do pagamento do ingresso;
O ingresso só pode ser pago em dinheiro;
Não há venda antecipada de ingresso;

Aos sábados a visitação ao Museu é gratuita.


Recomendações

A visitação é recomendável para crianças alfabetizadas.

O museu ainda não oferece serviços de lanchonete. Não é permitido o consumo de alimentos, bebidas, balas ou chicletes.

É proibido o uso do flash. Não é permitido fotografar e filmar com fins comerciais.

É proibido fumar.

Mochilas, sacolas, pacotes, malas, guarda-chuvas e brinquedos deverão ser deixados no guarda volumes.

* Fotos : Gjunior

Gjunior é alvinopolense, analista de sistemas.

Contato : alvinews14@gmail.com