Se essa praça falasse...

 

 

 

Gostoso chegar na varanda da casa dos meus pais,

e dar de cara com ela.

 

 

Ah!  A velha praça...

A banda passou...

O bloco passou...

A serenata acabou...

O amor se foi.

 

Ficou o gosto gostoso dos beijos,

o som dos dobrados e das marchinhas,

as lembranças dos belos carnavais.

E até ficou uma pontinha de saudade daquele dia,

que deixei uma lata de leite "Moça" do lado de fora da janela,

para ele saborear depois de uma linda serenata.

 

Ah! Se você falasse...

Não precisa.

Meu coração fala por você

toda vez que abro a janela do meu quarto

e dou de cara com suas frondosas árvores,

o Ipé amarelo que me encanta,

de agosto a setembro, com suas flores,

a Igrejinha de São Sebastião, 

a alegria das crianças, dos jovens, dos idosos...

 

Você resistiu ao tempo.

Ainda bem!

Eu  te agradeço.

 

- Mariana, cuidado!

Você vai levar um tombo da bicicleta!

Saia já da rua, vai brincar na pracinha!.

 

E você ainda abre os braços para minha neta.

 

 

Autoria - Anamineira