REGRESSO

 

Célio Ronan Cota

 

 

 

Meus sentires serão somente teus

Ainda que eu vá além terras e oceanos.

Trago de ti um arco-íris retido nas retinas

o eterno de tuas silvestres montanhas,

 

A magia de tuas casas,

tuas velhas ruas.

E a sustentarem os mistérios da infância

Tempos felizes de alegres lembranças.

Já faço parte de ti.

Figuro em tua paisagem

 

 

Nos  versos que grafei

em rochas e árvores

e no percurso solitário

à sombra da noite.

 

Mas, se o medo e a desventura chegarem,

Sei que tu me acolherás

e a essas tristezas.

 

Finalmente, todas essas reprimidas lágrimas

Sob o remanso de tuas águas descansarão.

E este ser-menino que a vida endureceu,

a ti se entregará na simplicidade das flores.

 

 

Esta poesia está no livro Literatura Alvinopolense - Terceiro Movimento
Excelente inciativa de José Afrânio Moreira Duarte e Ana Maria Terrôla de Menezes, este livro foi lançado em Alvinópolis no ano de 2004.
No livro são citados os vários escritores, da nova e antiga safra de Alvinópolis, relembrando contos e poesias. Pequenas lembranças de uma terra rica em cultura.

 

Fotos : Gjunior - 2011/2012

 

Sobre Célio Ronan Cota


Data nascimento: 28/11/1955.
Localidade: Alvinópolis/MG.
Filho de Carmo Cruzino Cota e Sônia Rodrigues Cota.
Fez seus primeiros estudos na Escola Estadual "Monsenhor Bicalho" e na Escola Estadual "Cândido Gomes", ambas em Alvinópolis.

Em Belo Horizonte concluiu o científico no Colégio Pitágoras.

Em 1973, na Universidade Federal de Minas Gerais, estudou Letras, quando demonstrou sua sensibilidade e gosto pela literatura.

Em 1980, graduou-se em Administração de Empresas pela FUMEC/MG.

Sempre enriquecendo e ampliando seus conhecimentos, fez inúmeros cursos na área da administração de empresas, de línguas estrangeiras e, notadamente, na área literária. Faleceu em 18/05/82.
Escreveu muita literatura em prosa e verso, mas tudo isto desapareceu após seu falecimento, restando apenas o poema "Regresso".

 

Colunas anteriores