Júnior Brasília, um craque de Alvinópolis

 

 Parte 1

 

Gilmar Moreira

 

 

José Francisco Solano Júnior, o Júnior Brasília, nasceu em ALVINÓPOLIS no dia 10 de Abril de 1958. Foi um grande ponta direita dos anos 70 e 80,um ponta nato daqueles de ir à linha de fundo, driblando e dar de bandeja para os colegas marcarem gols. Hoje em dia quase  não se vê jogadores deste estilo, por causa da modernização do futebol ,praticamente acabaram com os pontas.

Infelizmente estamos vendo hoje, mais um futebol de resultados do que aquele futebol alegre e mágico, como se jogava antigamente.

Jogou em vários clubes brasileiros: Defelê- DF, CEUB- DF, Flamengo-RJ, Cruzeiro – MG, Grêmio Maringá- PR, Operário –MS, Mixto- MT, Brasil- RS, Rio Verde - GO e na Seleção Brasileira SUB-20.

 

 

 Filho de Zé Preto, uma pessoa muito conhecida na nossa cidade, pois morava no Beco da Canjiquinha, no Bairro do Asilo, e trabalhava na padaria da família Carvalho na Baixada, entregava pão numa carroça puxada por um burro.  

 

 

 Com a recente inauguração de Brasília, como a nova Capital Federal, Zé Preto, com a ajuda de alguns amigos, deixa a nossa querida ALVINÓPOLIS e parte em busca de novos horizontes, levando consigo toda a família, inclusive o pequeno “Júnior Brasília”. Na capital Federal, passa a trabalhar no serviço público.

 

A ORIGEM DO APELIDO “ BRASÍLIA”

 

 No Distrito Federal, era chamado somente de Júnior, mas quando foi jogar no Flamengo era Júnior II, aí começou a confusão, pois o time da Gávea já contava com o grande lateral Júnior , então para solucionar o problema passaram a chamá-lo de Júnior Brasília, porque veio do futebol de Brasília, do CEUB para o Flamengo, aí o apelido pegou.

                         

 

 

O PRIMEIRO CLUBE O DEFELÊ

 

Júnior Brasília, quando tinha mais ou menos 12 anos foi visto pelo técnico Airton Nogueira, que o convidou para jogar no time de dentes-de-leite do Defelê.

 Foi campeão.

 

Passou a ter uma Kombi para apanhá-lo em casa nos dias de jogo. Ainda assim, saiu do Defelê para jogar nos times da NOVACAP e na AABB.

Isso aconteceu mais ou menos em 1972. Nessa época dividia seu tempo entre o campo de futebol e um carrinho de mão que usava para ganhar um dinheirinho fazendo frete para as pessoas.

 

 A MINI-COPA DENTE DE LEITE

 

Ainda no ano de 1972, Júnior Brasília, foi convocado para a Seleção do Distrito Federal, para disputar a primeira Mini-Copa Dente de Leite, onde acabou incluído na Seleção  dos melhores dentes de leite do Brasil , o melhor ponta direita do Torneio, escolha feita por vários jornalistas e pela REVISTA PLACAR. Participaram do certame seleções do Distrito Federal, Goiás, Guanabara, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo.

 

De 19 a 23 de Abril de 1972, Brasília foi sede da primeira Mini-Copa Dente de Leite (para garotos de 13 e 14 anos), patrocinada pelo Ministério de Educação e Cultura – MEC e comemorativa ao décimo segundo aniversário da Capital Federal.

 

 

Fonte : www.terceirotempo.com.br Coluna Que fim levou.

 

 A SELEÇÃO DENTE DE LEITE

 

JÚNIOR BRASÍLIA é o primeiro sentado, da esquerda para a direita e está com a bola.

Na foto acima também aparece o centroavante Reinaldo do Atlético – MG.

 

         

A IDA PARA O CEUB E A PROFISSIONALIZAÇÃO

 

 

As coisas só começaram a melhorar em 1974, quando foi convidado para jogar no juvenil do Ceub. Em 1975, o clube de Brasília se tornou profissional.

Começou ganhando um salário-mínimo e uma ajuda de alimentação e aos poucos foi se firmando.

 

 1975 – DISPUTA SEU PRIMEIRO CAMPEONATO BRASILEIRO

 

Veio o Campeonato Brasileiro de 1975 e o clube fez boa campanha. Aos 17 anos, Júnior Brasília foi um dos melhores. O time tinha bons jogadores, dentre eles o goleiro Paulo Vítor, Alencar, Xisté, Julinho, Péricles e Fio Maravilha, e obteve bons resultados na primeira fase, como um 0 x 0 contra o Grêmio, 1 x 1 Portuguesa de Desportos, 1 x 0 Vitória-BA, 0 x 0 Santa Cruz e 2 x 2 com o Santos. Na segunda fase, não reeditou a boa campanha da primeira e foi desclassificado.

 

 É ESCOLHIDO O MELHOR JOGADOR DO DISTRITO FEDERAL EM 1975 

 

Destaques Esportivos de 1975, escolhidos pelo Departamento de Educação Física, Esportes e Recreação - DEFER, do Governo do Distrito Federal – GDF.

No Futebol de Campo:

Dirigente: Adelino Avelino Gonçalves.

Atleta: José Francisco Solano Junior (Junior Brasília).

 

 JÚNIOR BRASÍLIA, COMEÇA A CHAMAR A ATENÇÃO DE CLUBES GRANDES

 

 

Júnior Brasília, passou a chamar mais a atenção dos grandes clubes brasileiros, fora de Brasília, primeiro num amistoso contra a Máquina Tricolor do  Fluminense de Rivelino, onde ele atua muito bem e marca um belíssimo gol.  No dia 21 de janeiro de 1976 esse time esteve em Brasília, para enfrentar o Ceub. E tomou um susto aos dez minutos de jogo, quando Junior Brasília abriu o marcador. Depois, o Fluminense virou o jogo e venceu por 3 x 1.

 

Eis a súmula do jogo:

 

CEUB 1 x 3 FLUMINENSE

Data: 21 de janeiro de 1976

Local: Estádio Presidente Médici, Brasília (DF)

Árbitro: Edson Resende de Oliveira, de Brasília

Gols: Junior Brasília, 10; Doval, 32; Rivelino, 70 e Doval, 77.

 CEUB: Vandeir, Fernandinho, Nenê, Paulo Roberto e Adalberto; Alencar, Renê e Paghetti (Xisté); Junior Brasília, Moreirinha e Afonso (Zé Maria).

FLUMINENSE: Renato, Rodrigues Neto, Carlos Alberto Torres, Fernando e Marco Antônio; Carlos Alberto Pintinho, Cléber e Rivelino; Gil, Doval e Dirceu. Técnico: Didi.

 

 

 

 

Depois joga contra o Flamengo no dia 07 de Fevereiro de 1976, pelo Torneio Governador Elmo Serejo, também em Brasília. Marcado por Junior, atuou bem e, depois do jogo, dirigentes do Flamengo foram jantar com os do Ceub, para acertar sua contratação.

 

    

JÚNIOR BRASÍLIA JOGA DUAS VEZES CONTRA A SELEÇÃO BRASILEIRA

 

Poucos jogadores brasileiros tiveram o privilégio de atuar contra a Seleção Brasileira, o nosso conterrâneo, Júnior Brasília, alcançou essa façanha por duas vezes e ainda no mesmo ano em 1976.

Primeiro jogo num amistoso que a Seleção Brasileira principal realizou em Brasília, contra a Seleção de Brasília, no dia 21 de fevereiro de 1976, preparando-se para a Taça do Atlântico daquele ano. Marcado por Marinho Chagas, Junior impressionou a todos e foi um dos melhores do encontro.

 

               

SELEÇÃO DE BRASÍLIA 0 x 1 SELEÇÃO DO BRASIL

Data: 21 de fevereiro de 1976

Local: Estádio Mané Garrincha, Brasília (DF)

Público: 27.935

Árbitro: Armando Marques

Gol: Flecha, 36.

SELEÇÃO DE BRASÍLIA: Nego, Terezo, Luiz Carlos, Fabinho e Nenê; Alencar, Marquinhos e Xisté; Junior Brasília, Léo e Ney. Técnico: Cláudio Garcia.

BRASIL: Valdir Peres, Nelinho (Getúlio), Miguel, Amaral e Marinho Chagas; Chicão, Geraldo e Rivelino; Flecha (Edu), Palhinha e Lula (Falcão). Técnico: Osvaldo Brandão.

 

Depois no mesmo ano já vestindo a camisa do Flamengo, atua novamente contra o Brasil de Pelé . Pela Taça Geraldo Cleofas Dias, jogo em homenagem ao grande jogador Geraldo, seu companheiro de equipe que havia falecido pouco mais de um mês antes.

 

           

 

FLAMENGO 2 x 0 SELEÇÃO DO BRASIL

Competição: Taça Geraldo Cleofas Dias Alves

DATA – 06/10/1976

 

 

 

ESTÁDIO – Maracanã

CIDADE – Rio de Janeiro

BRASIL – Félix (Leão); Carlos Alberto Torres (Wladimir), Marinho Peres (Zé Maria), Piazza (Beto Fuscão), Marco Antônio (Rodrigues Neto); Clodoaldo (Givanildo), Rivelino (Ademir da Guia); Jairzinho (Gil), Pelé (Dario), Paulo César Caju (Neca) e Edu (Valdomiro). Técnico: Oswaldo Brandão

FLAMENGO – Cantarelli; Dequinha, Jaime (Andrade), Rondinelli (Paolino), Júnior; Merica (Zé Roberto), Tadeu (Dendê), Luís Paulo (Júlio César); Paulinho (Adílio), Zico (Júnior Brasília) e Luizinho (Marciano). Técnico: Cláudio Coutinho.

 GOLS – Paulinho e Luís Paulo

 

 

 

Neste jogo contra o Brasil,  Júnior Brasília substitui o ídolo  Zico.

 

           

 

No próximo capítulo falaremos de sua contratação pelo Flamengo e sua passagem pela Seleção Sub – 20 e pelo Cruzeiro.

 

Gilmar Moreira é alvinopolense e reside em Quarteira - Portugal.

Contato : gilmarmdem@hotmail.com