Júnior Brasília, um craque de Alvinópolis

 

 Parte 6

 

Gilmar Moreira

 

Júnior Brasília no Brasil de Pelotas RS

 

Depois de uma brilhante passagem pelo Mixto – MT, Júnior Brasília volta a jogar no sul do país (anteriormente havia atuado no Grêmio Maringá-PR).

 

Dessa vez iria atuar num dos melhores clubes do Rio Grande do Sul, o Brasil de Pelotas, mais conhecido como Xavante, clube de enorme e fanática torcida, que sempre enchia o estádio Bento de Freitas, o seu palco maior para incentivar o Brasil.

 

 

Brasil RS, vice-campeão gaúcho em 1983

   

Logo em sua estréia no Gauchão de 1983, Júnior Brasília, juntamente com Lívio (irmão gêmeo de Luís Cosme, com quem havia jogado no Cruzeiro e no Operário-MS), formaram uma dupla de atacantes muito forte e levaram o Brasil ao vice-campeonato do Rio Grande do Sul, superando o maior rival do Internacional, o Grêmio de Porto Alegre.

O time do Grêmio tinha Renato Gaúcho e CIA, um timaço, campeão da Libertadores e do mundo daquele ano.

 

Este Grêmio não foi páreo para o Brasil-RS de Felipão e Júnior Brasília.

 

 

O Grêmio levou de 4x0 no estádio Bento Freitas e teve de se contentar com o terceiro lugar no Campeonato. O alambrado foi abaixo com o peso da fanática torcida do Brasil que fez a festa no estádio Bento de Freitas.

Júnior Brasília comandou o ataque do Brasil que deu uma surra no Grêmio, com gols de Hélio, Zezinho e Lívio em duas oportunidades.

A maioria dos gols do Brasil naquele jogo teve a participação direta do atacante Júnior Brasília, com passes e cruzamentos espetaculares.

E o Brasil de forma inédita conquistava a vaga no Campeonato Brasileiro.

 

Brasil-RS, vice-campeão gaúcho 1983 - Em pé: Doraci - Mauro - Hélio - Bastos - Amauri e Luiz Felipe Scolari (treinador). Agachados: Júnior Brasília - Jurandir - Livio - André - Zezinho e Ernani.

 

O Brasil de Pelotas não tomava conhecimento dos adversários, principalmente quando jogava em casa, com uma defesa coesa, bem fechada e um contra ataque muito rápido, que matava seus adversários.

Sob o comando de um jovem treinador, que depois viria a se transformar em dos melhores treinadores do mundo, o senhor Luís Felipe Scolari, mais conhecido hoje por Felipão, que com muita fibra e disciplina comandava aquele time do Brasil-RS.

 

Júnior Brasília e Felipão de camisa branca, juntos no Brasil-RS.

 

Campanha do Brasil-RS Vice-Campeão Gaúcho de 1983
 

Primeira Fase
26/06/1983 - Brasil 1 X 0 Caxias
29/06/1983 - Esportivo 3 X 0 Brasil
03/07/1983 - Brasil 0 X 0 Novo Hamburgo
17/07/1983 - Bagé 2 X 1 Brasil
24/07/1983 - Brasil 1 X 0 Juventude
26/07/1983 - Internacional(SM) 0 X 2 Brasil
28/07/1983 - Internacional 0 X 1 Brasil
31/07/1983 - Brasil 1 X 3 São Borja
07/08/1983 - Brasil 0 X 0 Grêmio
21/08/1983 - Brasil 1 X 1 Aimoré
28/08/1983 - Brasil 2 X 2 São Paulo
04/09/1983 - São Borja 1 X 0 Brasil
07/09/1983 - Brasil 0 X 0 Esportivo
11/09/1983 - Grêmio 0 X 0 Brasil
13/09/1983 - Juventude 1 X 1 Brasil
18/09/1983 - Brasil 0 X 0 Internacional(SM)
20/09/1983 - Aimoré 1 X 0 Brasil
22/09/1983 - Novo Hamburgo 0 X 1 Brasil
25/09/1983 - Brasil 1 X 0 Bagé
27/09/1983 - São Paulo 0 X 1 Brasil
01/10/1983 - Caxias 4 X 1 Brasil
04/10/1983 - Brasil 0 X 0 Internacional


Fase Final
12/10/1983 - Esportivo 1 X 1 Brasil
16/10/1983 - Brasil 2 X 0 Grêmio
19/10/1983 - São Borja 1 X 0 Brasil
23/10/1983 - Brasil 2 X 1 São Paulo
26/10/1983 - Internacional 2 X 0 Brasil
30/10/1983 - Brasil 0 X 0 Novo Hamburgo
02/11/1983 - Juventude 2 X 1 Brasil
06,11/1983 - Novo Hamburgo 0 X 1 Brasil
09/11/1983 - Brasil 1 X 1 Internacional
13/11/1983 - São Paulo 1 X 1 Brasil
16/11/1983 - Brasil 2 X 1 São Borja
20/11/1983 - Grêmio 1 X 1 Brasil
23/11/1983 - Brasil 0 X 0 Esportivo
27/11/1983 - Brasil 2 X 0 Juventude


Decisão do Segundo Lugar
30/11/1983 - Grêmio 0 X 0 Brasil
03/12/1983 - Brasil 4 X 0 Grêmio

 

O Brasil RS de Júnior Brasília no Brasileiro de 1984.

 

Treino do Brasil – RS em 1984, Júnior Brasília é o primeiro à direita.

 

Na disputa inédita do Campeonato Brasileiro de 1984, o time de Júnior Brasília ficou no Grupo F, juntamente com: Cruzeiro – MG, Atlético – PR, América – RJ e Rio Branco- ES.

 

“Vamos disputar a terceira vaga no grupo com o Cruzeiro”, previa o treinador Luís Felipe Scolari, que apontava Atlético Paranaense e América do Rio como favoritos, esses dois clubes possuíam naquela época grandes jogadores e eram cotados como os times mais fortes daquela chave.

 

Brasil – RS 84, no comando de Luis Felipe Scolari (FELIPÃO).

 

E foi justamente isto que aconteceu, o Brasil se classificou em terceiro do grupo superando o Cruzeiro.

 

Um empate de 0x0 com o Atlético Paranaense na Arena da Baixada, estádio do time do Paraná, no último jogo do grupo F, acabou selando a classificação do Brasil para a próxima fase, méritos para Felipão, que muita coragem colocou seu time todo atrás e respondia em contra ataques rápidos e perigosos.

 

 

O Brasil de Pelotas faz uma boa campanha superando adversários fortíssimos e mantém sua vaga garantida para o próximo ano.

 

Um Grande Jogo contra o Cruzeiro

 

Abaixo a súmula de uma grande vitória sobre o Cruzeiro, na segunda partida do Brasil no Campeonato Brasileiro de 1984.

Uma vitória em particular de Júnior Brasília, que em 1980, com poucas oportunidades no time da Toca da Raposa, acabou indo para outros clubes e rescindindo seu vínculo com o Cruzeiro.

 

Numa excelente partida de futebol, Júnior Brasília atuou muito bem naquele encontro contra seu ex-clube, com lançamentos precisos e grandes arrancadas pela direita, que levavam grande perigo à defesa celeste.

 

Resultado final, Brasil-RS 1X0 Cruzeiro, com um gol marcado pelo atacante Bira, que depois formaria com o alvinopolense Júnior Brasília uma dupla formidável e temida pelos clubes adversários.

 

Aqui a ficha do jogo contra o Cruzeiro e a classificação final do Grupo F.

 

Brasil – RS e Cruzeiro perfilados na hora do Hino Nacional Brasileiro, um grande jogo no estádio Bento de Freitas, onde o Brasil venceria por 1x0.

    

Júnior Brasília chuta forte com perigo para a meta do goleiro Vítor do Cruzeiro.

 

Na segunda fase daquele Campeonato Brasileiro, o Brasil de Pelotas caiu no grupo M, uma chave fortíssima com Flamengo, Internacional e Portuguesa e não conseguiu se classificar para a próxima fase.

 

Mesmo assim, ainda ficou em terceiro no grupo superando o rival Internacional, campeão gaúcho daquele ano.

 

Brasil e Flamengo se enfrentam pelo Brasileirão de 1984.

 

Fluminense é campeão brasileiro: 28/05/1984

 

O campeão brasileiro daquele ano foi o Fluminense, que tinha uma equipe fabulosa, comandada pela dupla de atacantes Assis e Washington, chamada carinhosamente de Casal 20.

Também contava com o grande jogador paraguaio Romerito, o craque do time, que viria a marcar o gol do título na vitória de 1x0 sobre o Vasco da Gama.

No primeiro jogo daquela final carioca, do Campeonato Brasileiro de 1984.

No jogo final, um empate sem gols foi o suficiente para a conquista do tricolor carioca.

 

 

Eis a ficha técnica:

Fluminense 0 X 0 Vasco da Gama

Local: Maracanã

Data: 28/05/1984

Árbitro: Romualdo Arpi Filho (SP)

Público: 128.381 pagantes.

Cartões amarelos: Roberto Dinamite, Romerito, Daniel González, Aldo, Mário e Jandir.

Fluminense: Paulo Vítor; Aldo, Duílio, Ricardo Gomes e Branco; Jandir, Delei e Assis; Romerito, Washington e Tato. Técnico: Carlos Alberto Parreira.

Vasco da Gama: Roberto Costa; Edvaldo, Ivan, Daniel González e Aírton; Pires, Arturzinho e Mário; Mauricinho, Roberto Dinamite e Marquinho.

Técnico: Edu Coimbra.

O Fluminense disputou 26 partidas, venceu 15, empatou 9 e perdeu apenas 2 partidas. Marcou 37 gols e sofreu 13.

 

FLU 84 – O Casal 20, Assis e Washington e Romerito o Craque do time

Em pé : Aldo, Paulo Vítor, Duílio, Ricardo Gomes, Jandir, Branco.

Agachados : Romerito, Delei, Washington, Assis e Tato.

 

Brasil de Pelotas RS Campeão do Interior 84

 

 

Naquele mesmo ano o Brasil de Pelotas foi a melhor equipe do interior do Rio Grande do Sul no Campeonato Estadual, na frente de Juventude e Caxias, assim considerado Campeão do Interior.

 

No capítulo final falaremos da participação do nosso conterrâneo no Campeonato Brasileiro de 1985, um ano histórico para o Brasil–RS, e principalmente para Júnior Brasília, que teve excelentes atuações naquele ano, um dos melhores anos de sua brilhante carreira no futebol brasileiro.

 

Um grande abraço a todos os Alvinopolenses do Brasil e do Mundo.

 

Gilmar Moreira é alvinopolense e reside em Quarteira - Portugal.

Contato : gilmarmdem@hotmail.com