O DIA QUE O SOL BRIGOU COM A LUA

 

 Leonardo C. dos Santos

 

 

 

     Teve um certo dia que o sol, antes de se levantar, brigou com a lua. Por isso ele começou a sua jornada diária emburrado, de cara feia. E não queria saber de nada, muito menos de ver ninguém .

     Por este motivo, nesse dia, tudo e todos ficaram muito tristes:

os passarinhos não quiseram cantar;

os cachorrinhos ficaram encolhidinhos dentro de suas casinhas.

 

E as crianças não puderam sair no quintal para brincar;

por causa disso ficavam fazendo pirraça atrás das suas mães dentro de casa.

   E antes da metade do dia as nuvens começaram a chorar, e choraram até à tardinha – tudo ficou molhado, frio e muito triste.

 

As rosas sequer conseguiram levantar a cabeça para enfeitar o jardim.

Também, nem as borboletas nem o beija-flor vieram para visitá-las.

   

Nas ruas, as pessoas passavam apressadas e carrancudas como se estivessem de mal umas das outras. O dia inteiro foi assim...

 

 

     Mas quando a noite chegou as nuvens foram embora, e a lua surgiu toda sorridente; porque o sol, antes de ir dormir, fez as pazes com ela.   

   

 

Leonardo C. dos Santos é poeta alvinopolense.

Contato : leonardo.cezario@hotmail.com