Cenário político 2012

 

Marcos Martino

 

 

 

Muitas vezes me acusam de ficar de longe analisando a cidade. Cada um faz suas análises a partir de seu ponto de vista mesmo. Isso é fato.

O que ocorre é que a gente sai de Alvinópolis, mas Alvinópolis não sai da gente.

Então, de onde estamos, pensamos e nos conectamos com a cidade, umbigo que não se rompe nunca.

 

Mas entrando no assunto propriamente dito, fico pensando sobre o histórico dos prefeitos nas últimas décadas.  Há quem diga que tivemos uma leva de grandes prefeitos no tempo do Dr. Fritz, Dr. Mário ou Sr. Marinho Cota,  prefeitos mais desenvolvimentistas que foram capazes de levar a cidade alguns passos à frente. Vicente Rocha também deve ser inserido na linha dos prefeitos mais sérios, que não gostava muito de aparecer, mas fez um governo de grandes realizações. É obvio que precisamos considerar as condições de cada época e os conhecimentos de cada um. Muitos acabam marcando por algo que tenham feito, por algumas obras marcantes, deixaram seu legado.

 

Dico Lavanca foi o prefeito que do jeito dele, olhava muito para o social. Em sua época, a prefeitura era do povo. Marcinho foi o prefeito gerente, que manteve as contas do município bem administradas. Milton foi o prefeito da bota amarela, mais voltado para o rural, mas que por vias do destino, proporcionou a vinda da Bio Extratus para Alvinópolis. João Galo Índio prometeu ser o prefeito da saúde e esse tem sido o seu esforço. Já certa administração, de tão calamitosa, nem merece ser citada. Muitos criticam a atual administração de não se importar muito em embelezar a cidade. Dura é a comparação com Dom Silvério, que tem uma arrecadação bem menor, mas que está muito bem cuidada. João Galo Índio tem suas visões de prioridades, direciona mesmo para a saúde, o que acaba significando priorização em certas áreas e menor atenção a outras.

 

Eu não me atrevo a julgar se ele está certo ou errado. Quem vai dizer é o povo mesmo, nas urnas. Como Alvinopolense, também gostaria de ver a cidade mais bonita, limpinha, bem cuidada, mas sabe-se lá se não é apenas um pensamento pequeno-burguês?

Será que o povão, os mais pobres e necessitadas estão se importando com isso?

 

 

Já foi o tempo dos grandes homens generalistas, que dominavam várias matérias. Já ouviram falar de Leonardo Da Vinci? Era um gênio italiano, pintor, poeta, inventor, etc. Em sua época era comum. Mas a tendência do mundo atual é pela especialização. Digo isso, porque se formos nos lembrar, tivemos um prefeito mais generalista que foi o Sr Nilo Gomes, dono de rara inteligência que dominava vários ofícios.

Alguns também souberam equilibrar, colocando as pessoas certas nos lugares certos. Mas no geral, cada prefeito citado deixou um legado, alguma coisa realizada. Vamos ver onde vai desembocar esse processo.

 

Outra coisa que é notória em Alvinópolis é que pelo menos até agora, somos um povo machista. Pelo que me consta ( me corrijam se estiver errado) jamais tivemos uma candidata a prefeita.Será por causa da tradição consolidada, do completo domínio gênero masculino ou mesmo por não ter surgido uma líder carismática?

Creio que um pouquinho dos dois. Para o próximo pleito, existem balões de ensaio de possíveis prefeitáveis. Mas são apenas ilações que podem se dissolver na hora das coligações. Nomes fortes mesmo para a disputa são o Milton, que tem bala pra queimar e o atual prefeito João Galo Índio.

 

O grupo do primeiro aposta as fichas na rejeição do prefeito Galo Índio. Já o Galo, vai depender do que conseguir fazer até a véspera e das evoluções de seu governo, da conclusão em tempo de obras que ele vem lutando dia-a-dia para concluir. Vamos ver o que vão dizer as pesquisas um tempo antes do pleito. Existe muita água pra passar debaixo da ponte.

 

 

A nós alvinopolenses, cabe avaliar a situação com muito carinho e sem grandes dramas. O que nós queremos é que a cidade evolua e não fique prisioneira de si mesma. Aliás, queremos muitas coisas. Creio que precisamos que o próximo prefeito, seja ele quem for, se comprometa com as reais aspirações da cidade e firme um compromisso em cartório, com pena de prisão caso decline ou mude de ideia sem consultar o povo que colocou em suas mãos a caneta mais poderosa do município.

 

Existem vários nomes citados como prováveis candidatos. Nem vou citá-los para não alongar demais o texto. Todos já sabem mais ou menos quem são. Citei apenas o Milton como candidato da oposição e João Galo Índio como candidato a reeleição, pela natural tendência de polarização da cidade. Mas anuncia-se candidatura Petista ( pela primeira vez na cidade) e podem haver mais surpresas.

 

Tomara que tenhamos novidades mesmo. Precisamos alternativas capazes de dar uma balançada na cena e apontar perspectivas novas,trazer temas importantes para o debate, sem comprometer as conquistas.  

 

Marcos Martino é alvinopolense, poeta, escritor, jornalista, músico.

Email : marcos.martino@gmail.com