A COMEDIA E A TRAGÉDIA, ESSAS PARENTES PRÓXIMAS!

 

Marcos Martino

 


Estava eu tranquilo em minha casa lendo o mural do Alvinews, quando li uma mensagem pra lá de inusitada:

- “ Estouro de boiada causa pânico pelas ruas da cidade”.

Pensei comigo:

- Ai, ai. ai ! Agora é que o pessoal vai cair na gozação. Tomara que não saia em nenhum jornal de grande circulação, pois depois da famosa trombada de cavalo, agora vem esse estouro de boiada em pleno ano de 2009. Por causa dessas verdades absurdas, acaba que nós alvinopolenses ficamos com a fama de mentirosos.
Vai que eu ainda estava rindo desse caso, imaginando o centro da cidade transformado numa Pamplona brasileira,

 

Corrida de touros de Pamplona - Espanha

 

quando resolvi dar uma olhada nos blogs dos amigos e fui cair no blog do Gomes.


Foi quando percebi que o amigo ex baterista da pesada, havia sido testemunha ocular do estouro da boiada, e como diz o ditado, não me deixa mentir sozinho (rs).
Só que o Gomes pintava a história com outras cores.

Ele não tratava o assunto com tom de comédia, mas exatamente o contrário.

Ele puxava a orelha das autoridades para o que poderia ter sido numa tragédia.

 

E não é que ele tem razão?

Já pensaram se a boiada enfurecida machuca ou mata alguém?

Ainda bem que Nossa Senhora do Rosário está sempre atenta.
Com relação à trombada dos cavalos, a situação foi bem pior, pois os pocotós saíram seriamente contundidos da situação e um dos cavaleiros também se feriu gravemente.


Mas se fôssemos contar todos os casos fantásticos de Alvinópolis daria pra encher umas dez enciclopédias.
Há poucos dias também teve alguém que encontrou com um lobo guará na porta do grupo de cima, agindo como um cachorro de rua.

 

Lobo Guará

 

Falando assim, achamos a história curiosa, pitoresca, mas não sabemos o que está por trás dessa aparição do lobo em plena cidade. Com certeza, deve estar faltando comida pra ele em seu habitat natural.
Isso prova que atrás de toda comédia existe uma tragédia.
Isso prova também que coisas incríveis acontecem em nossa terra.
E ainda dizem por aí que nós somos mentirosos.
Que injustiça!
Me lembro ainda do caso do cabrito que explodiu em Alvinópolis.


Tem muita gente que conta essa história morrendo de rir, mas ninguém se lembra de ter pena do pobre caprino que explodiu em mil pedaços.
Mas essa história eu deixo pra contar no próximo artigo.

 

Marcos Martino é alvinopolense, poeta, escritor, jornalista, músico.

Email : marcos.martino@gmail.com