A HISTÓRIA DO VERDE TERRA

PARTE 14

 

Neo Gêmini

 

Verde Terra em Caratinga.

Bereco, Dico, Ricardão, Manoel, Marcos, Carlinhos e Joãozinho. 1981.

Foto do Acervo Neo Gemini.

 

XII  FEMPOC  -  FESTIVAL DA MPB DE CARATINGA - SET/1981
 A segunda grande decepção - além da derrota, o prejuízo financeiro


Da mesma maneira de Conselheiro Lafaiete em dezembro de 1980, fomos para Caratinga com muita grana, pois o VERDE TERRA (com o prêmio do Festival de Alvinópolis/81, e shows de agosto/81) financiou toda a viagem (muito conforto), arcando com as despesas de estadia, incluindo almoço, lanches, etc;

 

Fomos em dois carros. A expectativa era boa, pois todas as 3 músicas que inscrevemos se classificaram: "Massacre no Solimões, "Interior" e "Festa Macabra".

Dessa forma a confiança era enorme.

No ano anterior, ganhamos lá o segundo lugar e todos acharam injustiça, pois merecíamos ser campeões. Além de tudo fizemos muitas amizades.
 

Viajamos no Sábado (05/09/81), esperando o mesmo sucesso.

A cidade também era muito interessante, o local do evento (o grande e famoso Cine Itaúna), com um Festival muito badalado.

O  Jovelino foi direto de Governador Valadares pra Caratinga. Ele foi na sexta (04/09) e assistiu a 1a. eliminatória.

O Carlinhos não foi, pois havia desfile em Belo Horizonte na Base Aérea (era dia da Independência do Brasil).
No sábado (2a. eliminatória), a 1a. música era nossa.

 

Abrimos o festival com "Massacre no Solimões", que foi bem apresentada, com um vocal perfeito. Apesar do ritmo lento e arrastado da música, fomos aplaudidos.

Quando tocamos "Festa Macabra", o público "caiu na pele" do Ricardão, chamando-o de "Zé do Caixão" (aquele personagem que está na capa do LP "A peleja do diabo com o dono do céu", do cantor Zé Ramalho-1979), por causa do blusão preto que ele usava e também o chapéu.

A última música que tocamos foi "Interior" e também foi muito bem apresentada. Estávamos bastante entrosados nessa época, devido à inúmeros ensaios que fazíamos toda semana.

Após as apresentações ficamos ansiosos quanto ao resultado da classificação para a final. Em primeira mão, ficamos sabendo que apenas "Massacre no Solimões" havia se classificado. Aí um jurado reclamou, dizendo que "Interior" tinha feito um dos maiores totais de pontos da noite. Depois de muita confusão e discussão, a comissão julgadora acabou confirmando a classificação de "Interior".
Após o resultado, todos do grupo foram curtir a Feira da Paz da cidade, que estava sendo realizada em outro local.

Estava ótimo. O local estava "bombando"...

 

Ensaio Verde Terra no Porão 71 - 2009.

Rogério, Manoel e Ronaldinho.

Foto : Gjunior



Alguns registros importantes desse dia:

O Jovelino ficou com raiva de mim, porque, segundo ele, eu tomei a garota dele, lá dentro do cinema (cine Itaúna), sendo que não foi bem assim.

Simplesmente ele estava conversando com a menina. Aí foi ao banheiro e quando voltou eu estava beijando a garota. Depois de algumas cervejas e hi-fis, fomos todos para a Feira da Paz, esquecendo as desavenças.
Minha irmã Lisa, apareceu lá com uma amiga dela.

Na época, fazia cursinho em Viçosa e ficou hospedada na casa de sua colega.

No domingo (06/09), pela manhã, encontramos com o conterrâneo e deputado José  Santana Vasconcelos, em plena praça principal. Ele foi em Caratinga participar de reuniões com políticos da cidade.

Depois de muita conversa, nos prometeu se empenhar para conseguir uma verba para gravarmos um disco (compacto) em Belo Horizonte. Ficamos esperançosos...


Mais tarde, fomos pra casa daquele casal do ano passado, do Instituto de Psicologia da cidade: o Beijinho e a Emília.

Éramos convidados para o almoço, que aliás estava ótimo.
Após este reencontro, retornamos para a Feira da Paz, curtir a city.

Eu bebi muita vodka naquele dia, que levei dentro de um cantil.

Amarrei um "fogo" em pleno domingo à tarde, e cismei de brincar naqueles carrinhos "tromba-tromba". Foi até legal... Alguns integrantes ficaram no hotel dormindo e descansando para a finalíssima do festival, afinal precisavam cuidar da voz.


À noite, na grande final do evento, tocamos primeiro "Massacre no Solimões".

Antes de apresentarmos "Interior", surgiu um dos participantes, de João Monlevade, e nos "dedou" com o pessoal da organização, dizendo que a aquela música havia ganho o festival de Monlevade em Abril/81.

Então a comissão organizadora queria desclassificar a música, não deixando a gente tocar, pois havia esse item no regulamento. Todos nós ficamos muito bravos.

Depois os organizadores cederam e acabamos tocando a música. Mas pelo jeito era só prá não dar tumulto. Seríamos, com certeza, "garfados" pelos jurados...
Quando foi divulgado o resultado a confirmação:

O 1o. lugar ficou com uma música de Coronel Fabriciano, até muito bonita.

O 2o., prá variar, com o cantor local, Alim Rocha, (o mesmo do ano passado).

E o VERDE TERRA não conquistou nada.

Após o resultado, alguns do grupo foram para o hotel, com muita raiva do acontecido.
Outros, (eu, Jovelino) fomos levar nossas garotas em casa.
Em resumo, eles deixaram a gente apresentar a música "Interior", só pra não atrapalhar o brilho do evento. Devem ter se reunido e desclassificado a nossa música por causa do regulamento.

No domingo (07/09), acordamos com o barulho do desfile, do pessoal dos colégios de Caratinga em plena praça. Estava até legal.

Nós saímos do hotel por volta das 11 horas da manhã, após tomarmos um ótimo café, para abater as mágoas do resultado.
Para completar a "festa da derrota", paramos em Rio Casca e tomamos muitas cervejas e almoçamos num restaurante da estrada. Acabamos de gastar o resto da grana que levamos para Caratinga (cerca de 35 mil cruzeiros).

Foi até bom, tocando uma viola, todo mundo cantando, num barzinho de Rio Casca, perto da Estação Ferroviária. Conhecemos muitas garotas lá, que posteriormente rolou um namoro prá mim.

 

Alguns dias depois elas me escreveram, convidando o grupo para ir passar um weekend em Rio Casca. Queriam até organizar um festival lá, para gente participar...
Quando chegamos em Alvinópolis, havia jogos no colégio, pelo torneio de Primavera.

Até que o pessoal não ligou muito pra nossa derrota.

Disseram pra gente:

- Perder também faz parte da vida...

Isso nos consolou um pouco. Também estávamos bêbados e tristes.
 

Recorte do acervo do Neo Gemini.


Estranho, que dias depois, uma garota de Acesita (minha ex-namorada), escreveu-me  parabenizando o VERDE TERRA por mais uma vitória em Caratinga.

Explica-se : o jornal "Diário do Aço" enganou-se e publicou uma reportagem dizendo que tínhamos ganho o 1o. lugar no Festival de Caratinga com a música "Massacre no Solimões" (tenho até o recorte do jornal, num arquivo com reportagens do V.TERRA).

A matéria foi  através de uma jurada que esteve presente em Caratinga.

 

Isso gerou muitos comentários. Eu, inclusive, liguei para Ipatinga (sede do jornal Diário do Aço) para confirmar a notícia. Mas houve realmente um "erro" de imprensa.

Como diria a música do Dalto , "Muito estranho", tema da novela "Sol de Verão" (1981). O que presenciamos lá, nos deixou com uma estranha dúvida sobre o resultado.

Se aquela pessoa de Monlevade não aparecesse lá e falasse que a música "Interior" já havia ganho um festival anterior, nós poderíamos ter ganho o festival ?
Isso a gente nunca saberá.

A não ser que encontremos algum jurado desse evento ainda vivo, e ele queira nos contar a verdade....

Na semana seguinte, realizamos um grande show na Feira da Paz de João Monlevade, no Estádio Louis Ensch (12/09/81), que estava lotado.

Lembro-me que quando o Dico chegou com o seu surdão, a galera vibrou.

Tocamos os grandes sucessos e inclusive "Interior", música que marcou muito o público de Monlevade, pelo 1o. lugar no Festival  daquela cidade em Abril, daquele ano.

Os componentes do VERDE TERRA puderam matar a saudade, revendo suas "namoradas" não oficiais e também os grandes amigos que fizeram durante o Festival em Monlevade.

Abraços a todos e Feliz Páscoa.
Neo Gêmini

Acesse www.neogemini.com.br e conheça um pouco minhas obras literárias.

Acesse: www.soundclick.com/paucomarame e ouça um pouco do rock elíptico da banda Pau com Arame.