A HISTÓRIA DO VERDE TERRA

PARTE 15

 

Neo Gêmini

 


I FEMPA  - FESTIVAL DE MÚSICA POPULAR DE ACESITA/MG - Outubro-1981
Com 1/3 dos integrantes, um 4o. lugar bastante honroso e comemorado

Após, o Festival de Caratinga, e aquela decepção, a matéria do jornal "Diário do Aço", os verde-terranos ficaram muito tristes e alguns até falavam em dar um tempo de festival, devido a esses arranjos de jurados, e principalmente, devido ao dinheiro que perdemos no Festival de Caratinga. Pois ficamos em hotel, transporte, alimentação, tudo por conta do Verde Terra.


Por isso, mesmo inscrevendo várias músicas para o 1
º Festival de Acesita, devido principalmente ao Jovelino que morava lá perto e eu que gostava da cidade, alguns integrantes disseram antes que não iriam, mesmo sem saber o resultado da pré-seleção das músicas.
Apenas o baião "Colheita" se classificou.

 

Muitos componentes diziam: "essa música não tem chance de ganhar lá", vamos perder grana de novo", etc. E grande parte não animou.
Como eu, o Ricardão éramos "piolhos" de festivais, resolvemos encarar por nossa conta. Convocamos seu irmão de BH (Carlinhos Jipão), que veio diretamente da Aeronáutica para tocar o violão junto comigo.  O Jovelino estava morando em Gov. Valadares, distante 100 km e foi direto de lá.
Pegamos o ônibus da Lopes, num sábado bem cedinho prá João Monlevade, eu, Ricardão e o colega Marcelo Xuxa, que às vezes acompanhava o Verde Terra. Em Monlevade nova conexão, direto prá Acesita. Chegamos lá por volta das 11 da manhã.
Antes do evento, eu o Marcelo e o Ricardão passamos na casa de uma ex-namorada minha prá dar um alô nela e nos familiares.

Tocamos algumas músicas no violão, lanchamos. Depois encontramos com o Jovelino, já no local do evento, o estádio de futebol no bairro Timirim. Após a chegada do Carlinhos fizemos um rápido ensaio e  o som ficou razoável.

 

Começamos a pedir o apoio do pessoal, eu levei as letras xerocadas, e conhecer outros integrantes de grupos, e acabamos conseguindo um amigo que nos ajudou na apresentação nesse dia. Apesar das dificuldades, tudo saiu razoavelmente bem. Conseguimos nos classificar para a final, no domingo.
 

Neo Gemini no famoso Porão 71.


No outro dia, mais descontraídos, fomos almoçar  e muito bem, com um churrasco e muita variedade na casa de amigos do Jovelino. Todos gostaram da música e estávamos confiantes numa boa classificação na final que aconteceria à noite. Também o Grupo Verde Terra tinha um nome na região.

Após o descanso, após o almoço, preparamos e fomos para o estádio.

A apresentação foi um pouco melhor, pois ensaiamos durante o dia. E para surpresa nossa o 4o. lugar, que ficou de bom tamanho. (Apesar de algumas pessoas presentes no evento, comentassem que pelo menos o 2o. ou 3o. lugar era merecido para a música "Colheita).
Fizemos um carnavalzinho..."Enchemos a cara", no popular. Afinal o grupo estava pela metade, sem os grandes feras das cordas e vocais. Sabíamos que faltava algo mais.
Valeu o esforço. A graninha que ganhamos deu prá cobrir nossas despesas e ganhamos também um belo troféu. O nome do Verde Terra novamente ficou em destaque, com muita garra e brilhantismo.

Apenas registros bem humorados:


Levei alguns sanduíches (tipo mixto) e coloquei dentro da capa do violão. Na casa de minha ex-namorada muitos queriam saber o que era e o Marcelo não deixou ninguém ver.

Outro: Eu depois de tomar todas, brinquei com uma garota  de lá e cantei uma música que ela não gostou. Inclusive a donzela ficou brava e chamou seu irmão para tomar satisfação comigo e ele queria até brigar. Aí aparece o "monstro" Ricardão, com aquela lábia e acalmou os ânimos, eu pedi desculpa e ficou tudo bem. Ele disse pro cara que eu estava muito bêbado e outras coisas mais.
Ainda bem pra mim. Os amigos existem prá nos salvar quando precisamos...


Abraços a todos e até o próximo capitulo, quando falarei o ótimo festival de  Congonhas.
Neo Gêmini

Acesse www.neogemini.com.br e conheça um pouco minhas obras literárias.

Acesse: www.soundclick.com/paucomarame e ouça um pouco do rock elíptico da banda Pau com Arame.