A HISTÓRIA DO VERDE TERRA

PARTE 23

 

Neo Gêmini

 

Festival da Canção em João Monlevade.

Foto : http://blogdoleunam.wordpress.com


 

VII FESTIVAL DA CANÇÃO DE JOÃO MONLEVADE
19o. ANIVERSÁRIO DA CIDADE
ABRIL 1983
Um 3o. lugar e pouca comemoração



Novamente a pausa para o carnaval (em Alvinópolis, prá variar).

Pude então rever os amigos.
Fiquei praticamente um mês sem ir em Alvi. Também, emprego novo, conhecendo um pouco melhor a capital de todos os mineiros, estava me distanciando aos poucos...
O grupo ficou praticamente 2 meses inativo, sem festivais e raros ensaios, mas conversamos muito por telefone e também no carnaval.

Decidimos então que participaríamos do Festival de João Monlevade, afinal foi uma cidade que conquistamos o primeiro lugar em 1981 com "Interior", e em 1982 o 3o. lugar com "Nós, os Loucos".

Outro detalhe é que o público tinha um carinho enorme pelo Verde Terra lá.
Além disso, outro fator que foi preponderante para participarmos foi o grande momento de inspiração que Marcos estava passando; canções de altíssimo nível foram criadas, com temas bem atuais, portanto, tínhamos que mostrar essas novidades para a galera.

Mesmo contra a vontade de alguns componentes (poucos), o grupo inscreveu algumas músicas em Monlevade.
Mantendo a tradição, o evento foi realizado no Ginásio do Grêmio, perto da Cia. Belgo Mineira, na parte antiga da cidade. A data coincidiu (de novo) com o aniversário da cidade (29 de Abril).

 

 


Logo que chegamos ao ginásio, o público nos colocou num patamar elevado, rasgando muitos elogios ao Verde Terra e à qualidade das músicas. A novidade que mostramos dessa vez foi a canção "Sete Quedas", que agradou muito ao público e ao júri.

 

Foi uma apresentação apoteótica. Classificamos para a final que seria no outro dia.
Dessa vez, alguns voltaram para Alvinópolis e fomos de novo no outro dia, em carros de amigos da nossa terra.


Para a finalíssima ensaiamos bastante e fizemos uma bela apresentação.

O público nos aplaudiu bastante.
 

Fato interessante a destacar: Neide Roberto, uma cantora de João Monlevade, que participou do júri e que ganhara notoriedade pela participação no programa de TV "A Grande Chance", pegou o microfone e teceu inúmeros elogios à poesia atual e excelente música de "Sete Quedas", mas exibiu a tabuleta com a nota 5,contradizendo o que falou antes. Talvez essa nota tenha nos prejudicado um pouco no resultado geral.
 

A cantora de Monlevade, Neide, participando do evento.

Foto : http://blogdoleunam.wordpress.com


Após a tradicional expectativa e ansiedade veio a definição: conquistamos o 3. lugar e um belo troféu.
Algumas pessoas da platéia questionaram muito o resultado. Gostaram muito da música "Sete Quedas". O prêmio em dinheiro foi razoável, nenhum componente do grupo teve prejuízo, mesmo aqueles que moravam em outra cidade (meu caso). Eu voltei para Belo Horizonte muito feliz e recompensado. Tinha certeza que a partir de então os festivais não morreriam. Estavam mais vivos do que nunca. E o Verde Terra, apesar da separação
parcial dos integrantes estava pronto para manter aquela chama da música sempre viva.

Alguns dias depois do festival , precisamente no mês de Maio, o Verde Terra recebeu uma carta da Prefeitura de João Monlevade, elogiando a proposta do grupo em valorizar as riquezas naturais do Brasil, e a rica poesia de "Sete Quedas".

Foi um quase pedido de desculpas pelo estranho resultado. Afinal o público presente do Ginásio acreditava piamente que conquistaríamos o 1. lugar. Mas são coisas que acontecem em qualquer disputa ou competição. Afinal são muitos jurados e cabeças pensantes com idéias diferentes.
Mas o importante que valeu demais a participação em João Monlevade, pela terceira vez consecutiva.
Ficou marcante pra mim a galera enlouquecida quanto cantávamos o refrão.

Vejam abaixo a letra completa.
 

O Salto de Sete Quedas (também chamado Salto Guaíra) era a maior cachoeira do mundo em volume de água, que desapareceu com a formação do lago da Usina hidrelétrica de Itaipu.

Apesar do nome, eram constituídas por 19 cachoeiras principais, sendo agrupadas em sete grupos de quedas. Recordistas mundiais em volume d'água, as Sete Quedas eram o principal atrativo turístico de Guaíra, cidade que, à época, chegou a ter 60 mil habitantes, rivalizando em importância com as cataratas de Foz do Iguaçu. À época, Guaíra era um dos destinos brasileiros mais visitados por estrangeiros. Atualmente, a população da antiga cidade real espanhola é inferior a 30 mil habitantes.

Fonte : Wikipedia

 

SETE QUEDAS


Marcos Martino/ Grupo Verde Terra

A gente esperando a água
Vazar o mundo e consumir
O que a deusa natureza
Demorou mil séculos prá construir
A água lapidando a pedra
Formando arco-íris no ar
As mãos mecânicas do homem
Se encarregaram de te sepultar

Todo poeta desta terra
Em alma foi ao funeral
E cada olho que te viu
De pranto inundou-se em cegueira total
Não sei se necessário ou justo
Prá engrenagem funcionar
Acabar com toda beleza
Para o intelecto humano imperar

Sete Quedas, sete suspiros de amor
Sete mortes, sete gemidos de dor
Sete Quedas, sete triunfos do mal
Sete furos, traidores de punhal

Cadê o véu de águas claras?
_ O homem represou
As sete cascatas sagradas ?
_ O homem inundou
Não sei se necessário ou justo
Prá este sistema funcionar
Acabar com toda beleza
Para o raciocínio humano imperar...

Sete Quedas...

 

 

Era bem forte e realista essa letra e a música contagiante.

Outras boas lembranças desse festival, que foi realizado no Ginásio Grêmio Esportivo
Monlevadense, foram as atrações musicais: Art Som, o conjunto Impulso, e o grande cantor Eduardo Dusek, que fez muito sucesso com a galera, mostrando seu rock irreverente e muito criativo. A finalíssima aconteceu no dia 30/Abril/1983, com o ginásio lotado.

 

Abraços a todos.

Neo Gêmini

 

Acesse www.neogemini.com.br e conheça um pouco minhas obras literárias.

Acesse: www.myspace.com/bandapaucomarame e ouça um pouco do rock elíptico da banda Pau com Arame.

 

Colunas anteriores