A HISTÓRIA DO VERDE TERRA

 

PARTE 41

 

Neo Gêmini

 

 

A expectativa para a chegada dos discos

O Festival de Boa Esperança - AGO e SET/87

 

Após o grande show de encerramento do XII Festival de Música de Alvinópolis, na quadra externa da Escola Estadual "Cândido Gomes", no final de Julho de 1987, todos os integrantes e familiares estavam ansiosos para a entrega dos 1.000 discos de vinil, que viriam das Gravações Elétricas Continental, desde São Paulo e chegariam em Belo Horizonte, no Bairro Novo São Lucas, onde moro.

 

Todos os componentes já planejavam a entrega aos fãs que encomendaram antecipadamente os discos, através daquele formulário, o "Plebiscito de Avaliação", realizado desde Outubro de 1986, durante o I Concerto na Praça (São Sebastião). A entrega foi prorrogada por alguns meses e a ansiedade de todos nós aumentava.

 

No início de Agosto/87, outra boa notícia: duas músicas se classificaram para o Festival da Canção de Boa Esperança, o mais antigo de Minas e um dos mais importantes do Brasil. O evento seria realizado nos dias 05, 06 e 07 de Setembro daquele ano. As canções classificadas estavam incluídas no LP-Mix, que estava por chegar em minha casa: as músicas "Nós, os Loucos" e a irreverente "Noite de Cão".

 

 

Dessa vez, o grupo estava animado a participar daquele evento, pelo menos a maioria dos integrantes do VERDE TERRA. Outros, ao contrário, insistiam na ideia de não irem, pois as músicas estavam no disco e no regulamento dizia que músicas que haviam sido gravadas comercialmente não poderiam participar. Então levantamos a hipótese: se até na data do Festival, os LPs não chegassem, poderíamos ir, pois não haveria jeito dos organizadores do Festival de Boa Esperança saberem se as canções eram gravadas ou não. No mês anterior, já havíamos desistido de participar da FAMPOP (Feira de Música Avarense,) tradicional Festival do Brasil, realizado na cidade de Avaré, estado de São Paulo. A música classificada lá foi "Do outro lado do espelho".

O mês de Agosto já entrava na reta final e nada dos discos... Um dia, não me lembro a data exata, resolvi ligar para as Gravações Elétricas em São Paulo e falei com a recepcionista. Ela me deu uma boa notícia: os discos já estavam prontos e que já estavam providenciando a transportadora e até o final do mês chegariam em Belo Horizonte. Me pediram inclusive os meus dados, de RG, CPF, confirmação de endereço e me deram o número da conta do Banco, para que eu fizesse o depósito da parcela restante. Assim a nota seria faturada e na sequência a liberação dos discos.

Essa grande notícia deixou os "verdeterranos" super animados...

 

No final de Agosto, em 28 ou 29 de Agosto de 1987, por volta das 9 30 horas da manhã, eis que toca o interfone da minha casa, com a transportadora procurando por mim e dizendo que havia chegado uma encomenda de São Paulo. Eu já estava esperando naqueles dias mesmo, e deixei muitos compromissos de lado, para esperar pelo grande dia. Os funcionários descarregaram as 10 caixas. Apenas uma pequena diferença: vieram 966 discos e não 1.000. Mas isso é normal mesmo.  Devido ao material que se usa para fabricação, ou falta, ou sobra um pouco. Mas é pago pelos que realmente foram produzidos. Fiquei muito emocionado ao ouvir com meus familiares no toca discos Garrard, fabricado em 1978, da Gradiente, e no meu tradicional System 95, um som que tenho até hoje, a 1a. faixa; "Do outro lado do Espelho".

 

Neo Gemini em estúdio. Janeiro 1987.

 

Foi uma alegria indescritível. Lembro-me até que cheguei às lágrimas. Era a concretização de um sonho antigo. O primeiro grupo de Alvinópolis a gravar um LP (na época na havia ainda o formato em CD).

Liguei para o Marcos, que já morava em BH e dei a notícia. Ele avisou o pessoal em Alvinópolis do grupo e familiares. Como já havíamos deixado uma data reservada no Nick's, começamos a providenciar os convites.  Eu e o Marcos bolamos tudo na minha casa. Feito no computador, usando as fotos de cada um, e convidando para o lançamento.

 

Nesse período, após a chegada dos discos, o grupo decidiu então a não participar do Festival de Boa Esperança. Alguns ainda, apesar de tudo, queriam ir. Por isso, não avisamos à organização de lá sobre a desistência. Outra coisa: no final de semana do Festival, o feriado da Independência, haveria o grande clássico Alvinopolense X Industrial, no campo do Alvinopolense.

 

Naquela ocasião, tudo seria filmado pela Filmavídeo,  com a locução do Marcos Martino, fato inédito naqueles tempos. Inclusive, o pré jogo, os comentários  e análises, nos bares da cidade. Afinal, era um fato histórico para Alvinópolis. Havia muito tempo que não acontecia esse encontro das duas equipes mais tradicionais da cidade. E uma rivalidade enorme. Sendo assim, o Martino decidiu não ir mesmo participar do festival de Boa Esperança.

 

Minha irmã, a Lisa, já morava em Boa Esperança, desde o final de 1984. Por isso, sempre que podia, ia assistir esse evento. Inclusive no ano anterior, o Verde Terra esteve lá.

A expectativa em Boa Esperança para o festival estava ótima. Inclusive minha irmã disse-me que uma amiga dela, da organização, falou que na pré seleção das músicas, "Nós,os Loucos" havia ficado em 1o. lugar, com a maior pontuação. E "Noite de cão", também ficou bem colocada no ranking geral das semifinalistas. Então eu pensei um pouco na vida, o que poderia acontecer lá. Por isso, eu levei cerca de 15 Lps, e fiquei na esperança de ensaiar com algum grupo lá e tocar, como aconteceu no Festival de Governador Valadares em 1980. Mas, se ao menos o Jovelino Carvalho tivesse ido, talvez essa situação poderia ter acontecido...

 

 

Lembro-me que as duas músicas seriam no Sábado. Eu, acompanhando as outras canções e apresentações, acompanhando pelo livrinho do Festival, fiquei muito chateado, uma tristeza imensa tomou conta de mim...

Quando anunciou-se a música "Noite de Cão", de autoria de Marcos Martino, interpretada pelo Grupo Verde Terra, de Alvinópolis, uma expectativa grande no Radium Clube Dorense, um silêncio... O locutor, que aliás, é o organizador do evento, desde 1971, esperou cerca de 5 minutos e nada... Ele, dava para se notar, ficou muito desapontado com aquilo e principalmente perante ao grande público que se fazia presente no local.

Novamente, na hora de anunciar a música "Nós, os Loucos", a mesma coisa. Eu já havia tomado umas para desanuviar a mente e espantar a tristeza.... Pelo menos, através da ajuda de minha irmã, consegui vender os 15 discos que levei. Alguns amigos músicos que participavam lá e eram conhecidos, também adquiriram. Até pessoas da organização e que participaram da pré seleção compraram, pois gostaram muito das músicas do Verde Terra, na triagem do festival.

 

O organizador geral ficou muito chateado pois ninguém comunicou a desistência. Eu disse  que iríamos, mas aconteceu uma doença com um dos familiares, de repente, o que impediu a presença do grupo lá. Eles, se fossem comunicados com pelos menos uma semana de antecedência, poderiam substituir as músicas pelas próximas na pontuação geral. Foi uma pena. Tenho a certeza que tínhamos chances reais de ganhar, senão o Festival, pelo  menos um bom prêmio, que nos daria condições de fazer um lançamento do disco com um alto nível de produção.  Mas também, ficamos na dúvida sobre a possível desclassificação das músicas, pois haviam sido gravadas. Mas hoje, 26 anos depois, tenho que lembrar a célebre frase: " não adianta chorar pelo leite derramado".

 

Então, ainda pela madrugada, fiz a viagem de volta, ainda triste. Apesar de ter recuperado os custos e despesas gastos com a venda dos 15 discos.

A certeza de uma vitória lá foi o que me deixou chateado...Meu cunhado na época, o Daniel, juntamente com os amigos dele, fizeram uma grande torcida pela nossa vitória e estavam esperando muito a presença do Verde Terra lá em Boa Esperança.

 

Mas, apesar de tudo, eu já começava a planejar a festa para o próximo final de semana, que seria o lançamento oficial do disco, na Churrascaria Nick's Bar em Alvinópolis.

No próximo capítulo, descreverei com detalhes, a grande festa, os bastidores e tudo que rolou naquele sábado histórico, dia 13 de Setembro de 1987, na regência do detalhista signo de Virgem, e seu planeta Mercúrio. Essa festa ficou na história da cultura de Alvinópolis, pois foi um fato inédito: o primeiro grupo de Alvinópolis que lançou um LP comercialmente.

 

Um grande abraço a todos, muita paz, saúde e sorte.

 

Neo Gêmini.

Acesse www.neogemini.com.br e conheça um pouco minhas obras literárias.

Acesse: www.myspace.com/bandapaucomarame e ouça um pouco do rock elíptico da banda Pau com Arame.

 

Colunas anteriores