A HISTÓRIA DO VERDE TERRA

PARTE 10

 

Neo Gêmini

 

 

Verde Terra nas estradas.

Em pé : Ricardão, Joãozinho.

Sentados : Manoel, Carlinhos Jipão e Marcos.

 

V FESTIVAL DA CANÇÃO DE JOÃO MONLEVADE - ABRIL/1981
Uma vitoria sensacional - a consagração junto ao publico.


Para o festival de Monlevade, usamos o mesmo esquema de inscrição de Pedro Leopoldo.
Mandamos músicas com o endereço do Verde Terra de Alvinópolis e músicas com endereço e interpretação de Jovelino Carvalho Gomes de Governador Valadares, cidade onde ele realmente morava com os tios. Mas era integrante e vocalista do Verde Terra.
De Alvinópolis classificaram-se duas: "Massacre no Solimões" e "Canta Violeiro"; e de Gov. Valadares a música "Interior".

Não inscrevemos "Nós, os Loucos", pois esta já havia vencido festivais recentes e outros prêmios. Pensamos em guardá-la para outro festival futuro na progressista cidade da região metalúrgica.

O festival de João Monlevade fazia parte das comemorações do aniversário da cidade, final de Abril. Todas as nossas músicas seriam apresentadas no sábado (25/04).
Alguns integrantes foram pela manhã e o restante do pessoal chegou à tarde, inclusive o Carlinhos Jipão que veio de B.Horizonte. O Jovelino, procedente de Valadares chegou à noite, quase na hora do início do festival.
À tarde, depois do ensaio no tradicional ginásio do Grêmio, localizado perto da sede da Belgo Mineira, arrumamos uma pensão bem aconchegante e barata em Carneirinhos, bairro um pouco distante do local do festival. O detalhe:  era 01 quarto com 5 camas.
 

À noite, o ginásio estava completamente lotado.

Nós fomos prá lá de lotação, que parava em frente à pensão onde estávamos.

Dentro do ônibus já fomos distribuindo as tradicionais letras das músicas, coisa que fazíamos sempre em todos os festivais.
Era uma forma de conquistarmos o público e também conhecermos algumas garotas...

A 1a. música que tocamos não se saiu muito bem: "Massacre no Solimões", pois alguns componentes estavam um pouco "bêbados" e erraram a introdução da música.
Mas como a canção é de qualidade ela se classificou para a final.

Neste festival, as notas também eram vistas pelo público, pois os jurados levantavam a plaqueta.
Em seguida tocamos "Canta Violeiro" e Interior" (que estava em nome do Jovelino).
As duas foram bem apresentadas.
Antes da apresentação de "Interior", o locutor proferiu:

- "De Jovelino Carvalho Gomes, de Governador Valadares com ajuda de seus velhos amigos de Alvinópolis do Grupo Verde Terra" e completou :

- "um cara que morava no interior, saiu para a cidade grande, se arrependeu, querendo voltar"...


Lembro-me que logo que comçamos com aquela marcha-rancho, contagiante, e o lalaiá.., o público começou a nos apoiar e a música ganhou em vibração.
A seguir a nota dos jurados: todos deram 9, que era a nota máxima da noite.
A partir daí, ficamos com moral junto ao público e principalmente com as meninas da cidade, e região, que estava representada pelas cidades de Bela Vista, Sãoo Domingos do Prata, Nova Era, Santa Bárbara...
No final da apresentação de "Interior, o tradicional: "Já ganhou, já ganhou...

O resultado foi de duas músicas classificadas: "Massacre dos Solimões" e "Interior".

Fomos fazendo um carnaval já dentro do lotação, até chegar em Carneirinhos e em seguida partimos para um boteco onde muita festa rolou.

 

Reunião Verde Terra 2009.

Manoel, Dico, Jovelino, Ronaldinho, Rogério e Carlinhos Jipão.


 

Aconteceu um lance engraçado na hora da galera dormir: eram 12 pessoas, contando com amigos que foram nos prestigiar, e ficaram espremidos no quartinho da Pensão São José, sendo que somente 7 pessoas pagaram. Todos bastante tontos.

E Ricardão com suas piadinhas de sempre. Ele ainda não estava efetivado no grupo, apenas chegando de mansinho...
No domingo à tarde, curtimos bastante na Praça 7, o coração da cidade e o point da paquera na cidade. Era ali que a festa continuava.

Quem estava todo empolgado e cheio de prosa era o Jovel, por causa da música Interior. Algumas meninas o chamavam de "Jovemlindo", outras gritavam: "Juvilínio, Juvilínio, me dê um autógrafo, e por aí vai. Ele viveu uma tarde de rei em plena praça, todo sorridente.

À noite, aconteceu a grande final e como já esperávamos, conquistamos de forma merecida o primeiro lugar, junto com o prêmio de 50 mil cruzeiros, o maior que já recebemos até aquela ocasião.
O Jovelino recebeu das mãos do então prefeito o sr. Antônio Gonçalves e posou para os fotógrafos de plantão; jornais, revistas, público, etc.

Foi um êxtase do Juvilínio...
Antes do resultado fizemos um mini show no ginásio e tocamos "Nós, os Loucos" e os famosos baiões que sempre ensaiávamos em seguência.

Em seguida o carnaval no "Rampa"s Bar, localizado na rua siderúrgica, a poucos metros do ginásio.

Alguns componentes voltaram de carona com amigos para Alvinópolis e outros dormiram a última noite naquele famoso quarto da pensão "Zazáu", apelido dado pelo amigo Nem de Zé Carvalho, que estava presente acompanhando a galera.
 

Detalhe: foi um festival inesquecível. Quando tocamos a música vencedora, a presença no palco de Ricardão com um berimbau foi marcante. Talvez foi essa descontração e alegria que o fez entrar para o grupo e todos os componentes o aceitaram de braços abertos; seu jeito amigo e brincalhão cativou todos do Verde Terra.

No próximo capítulo falarei sobre o marcante festival de Cataguases.

Abraços
NEO GÊMINI.

 

Acesse www.neogemini.com.br e conheça um pouco minhas obras literárias.

Acesse: www.soundclick.com/paucomarame e ouça um pouco do rock elíptico da banda Pau com Arame.