A HISTÓRIA DO VERDE TERRA

PARTE 5

 

Néo Gemini

 

Verde Terra em Croqui.

Ricardão, Joãozinho, Manoel, Dico.

Marcos, Ronaldinho e Rogério.

Foto do Mauro Sérvulo./ Croqui : Gjr.

 

A final do FEMPOC - Festival de Caratinga.- Setembro/1980

 

Quando chegamos no Cine Itaúna, o organizador do evento, parece que estava escondendo da gente. Ficou muito sem graça quando encontrou com alguém do Verde Terra nos camarins, etc. Com certeza ele acreditou que aceitaríamos aquela proposta ridícula de suborno.

A apresentação de "Nós, os Loucos" foi apoteótica.

Depois, ficamos tomando umas, no bar do cinema, e apenas aguardando o resultado.

As "namoradas" dos integrantes do V.Terra, davam a maior força, tipo:

- "Vocês vão ganhar", "o 1o. lugar é de vocês", " a  melhor música é de vocês", "vamos fazer o maior carnaval aqui" etc.

Mas, eu já desconfiava, quando um músico de lá, cantou uma música bem simples, estilo música portuguesa (fado) com um refrão dançante, a letra era bem fraquinha. Mas o cantor era natural de Caratinga e tinha torcida organizada, com faixas, etc.

Quando foi divulgado o resultado não deu outra, o cantor local ficou em 1o. lugar (20 mil cruzeiros) e nós em 2o. (15 mil cruzeiros). Não sei se ele compactuou com aquele esquema.

Prá gente foi bom.

Ficamos com a consciência limpa e ganhamos 15 mil cruzeiros. A "proposta do produtor" seria dividir 20.000, sendo 10 mil  para ele e 10 mil cruzeiros prá gente.

Portanto ficou legal assim. Para o público e crítica presente nós fomos os verdadeiros vencedores.

Há poucos anos atrás fiquei sabendo que esse compositor faleceu.

Mas, nós não comentamos para ninguém da cidade o acontecido.

Aquilo ficou entre a gente.

 

Após a vitória, já de madrugada (por volta das 4 da manhã), fomos convidados para tomar uns goles na casa de um simpático casal, que ficou fã da banda.

Eram psicólogos que eram donos de uma clínica/escola. Ficamos na casa deles até às 6 da manhã (aliás uma mansão, no alto da cidade) . Tiramos várias fotos e comemoramos nossa "vitória moral", tocando além da música "Nós, os Loucos", várias do Verde Terra.

 

Depois viemos embora, muito felizes; alguns curtindo um "foguinho" da adolescência (16 anos), rindo muito, outros "apagados" no carro.

Mas, foi uma viagem ótima, e com um registro interessante: na chegada ao distrito Major Ezequiel, em plena rua principal, o saudoso violonista Artur, de Fonseca, deixou sua marca, chamando "O juca". Ele passou mal, e a turma o alugou muito. Era o dia da Independência do Brasil (07/09).

 

O gostoso foi a chegada triunfal em Alvinópolis, com foguetes, buzinação dos dois carros.

O colégio estava realizando o desfile de 7 de setembro e nós chegamos alegres, despertando a curiosidade de todos

Depois fomos para o nosso "point" predileto, o Nick's, juntamente com os familiares, amigos, as namoradas oficiais e muito batuque. Foi uma  "cervejada" de 9 da manhã até por volta das 14 horas. Apesar do cansaço da viagem, ninguém reclamava. Tudo era festa.

Foi bom chegar na nossa terra, com o 2o. lugar (moralmente o primeiro) conquistado em Caratinga, nossa primeira viagem inter-municipal.

 

Outro registro desse festival: Jesus Bereco e seu "conjuntinho amarelo" (pijama), que com sua gagueira agitou o hotel em plena madrugada, fazendo uma bagunça com as chaves, e dando muito trabalho para o funcionário. Ele aprontou uma grande confusão, acordando muita gente. Quem sabe mais detalhes é o Jovelino.

 

Depois desse festival, fomos convidados para vários churrascos no mês de Setembro em Alvinópolis. Sempre no sábado ou domingo, na casa de alguém, amigos ou familiares, a gente levava os violões, o Dico o surdo e as percussões e fazíamos aquele showzinho.

Sempre às sextas feiras, começamos a ensaiar os vocais no Bar Tintim , Bairro Souza.

Depois da aula íamos para lá e ficávamos até por volta da 4 da manhã

Cheguei a datilografar várias letras de músicas da época, de MPB, sambas, boleros, etc, para ensaiar. Também ajudava quando fazíamos as serenatas para as garotas.

 

Mais no meio do mês fizemos a inscrição para o Festival de Itabira.

Seria uma boa oportunidade de tentar faturar o 1o. lugar e devolver o resultado de Julho/1980, quando um compositor de lá ganhou o Festival de Alvinópolis.

Passamos o mês de Setembro todo curtindo/ensaiando e respirando música.

As do Verde Terra e também outras.

Ô Saudade...

 

No próximo capitulo falarei em detalhes sobre nossa participação no Festival de Itabira, início de Outubro/1980, que foi realizado no Ginásio do Valeriodoce.

Eu, particularmente, estava ansioso para conhecer a cidade natal do grande poeta Carlos Drummond de Andrade.

 

Saudações a todos conterrâneos, familiares e amigos de Alvinópolis.

Neo Gêmini

Acesse www.neogemini.com.br e conheça um pouco minhas obras literárias.

Acesse: www.soundclick.com/paucomarame e ouça um pouco do rock elíptico da banda Pau com Arame.