A história das barbearias de Alvinópolis.

Décadas de 40,50,60,70,80.

 

José Silvério de Carvalho

 

 

Neste relato vamos descrever as histórias dos barbeiros de Alvinópolis.

Durante muitos anos ele prestaram serviços a nossa população, tanto no município quanto nos distritos, pais e filhos no tempo em que cabelo grande era um afronta à sociedade.

 

 

João Barbeiro

 

João Barbeiro cortando o cabelo do Zé Niquinho.

Fotos : Gjunior

 

 

Um grande profissional que tem a profissão incorporada ao nome.

A sua barbearia se localizava na Praça São Sebastião, próximo a sede do Industrial.

Seus clientes eram pessoas ali da Baixada e Operários da Companhia Fabril Mascarenhas.

Vários dos seus filhos seguiram seus ensinamentos, como o Norberto, Humberto e o Baixinho.

Até os dias de hoje ele tem seu Salão, que fica próximo a padaria do saudoso Zé de Afonso, no Gaspar.

 

Barbearia do Dorico.

 

 

À esquerda, casarão de propriedade do Sr. Pedro Gomes Domingues, na ultima porta, era o cômodo onde funcionava a Barbearia de Dórico, em frente ao Grupo Escolar bias Fortes.

Foto : Mauro Sérvulo.

 

Localizada em um dos cômodos da casa do Sr. Pedro Domingues, pai de Nilo Gomes, ex-Prefeito de Alvinópolis, de frente para o Grupo Escolar Bias Fortes, na Rua de Cima.

A sua clientela era, em sua maioria, formada por moradores da parte alta da cidade e alguns do Bairro do Asilo, ondele ele residia.

 

Barbearia do Inhozito

 

A segunda casa a esquerda, com algumas pessoas na porta, é a casa de Inhozito.

No primeiro cômodo menor, era onde funcionava a sua barbearia e os outros cômodos a famosa sapataria do Toni. O prédio seguinte é a farmácia do Sr. José Pinto Coelho.(Dodô).

Foto : Mauro Sérvulo

 

Uma das barbearias mais antigas de Alvinópolis.

Localizava-se exatamente em frente ao Bar do Mundão de hoje.
Inhozito era um homem muito simples, querido em Alvinópolis.

Sua clientela era também de gente simples, a maioria da região do Bairro do Gaspar.

 

Barbearia do João de Vina

 

João de Vina com o seu neto Juninho.

 

João de Vina, meu querido e saudoso pai, era torcedor fervoroso do Alvinopolense Futebol Clube.

A sua barbearia bateu recordes em Alvinópolis, pois atravessou as décadas de 30.40,50,60,70. Durante todos esses anos ela funcionou em vários pontos.

Começou na Baixada, próxima à Sede do Industrial nos anos 30.

Logo após, mudou-se para a nossa casa na época, hoje residência do ex-Prefeito Milton Figueiredo.

Em seguida passou para um dos cômodos da casa de Maria Tatana, ao lado da Loja de Guelo Schetini de hoje.

Seu último ponto foi no cômodo onde hoje funciona a Loja da Maria de Ademir, em frente ao Grupo Monsenhor Bicalho.

No primeiro cômodo desta casa,  onde hoje funciona a Belas Modas, de Maria de Ademir, funcinou a Barbearia do João de Vina.

Foto: Gjunior

 

A clientela de João de Vina era formada por pessoas simples como ele e muita gente das comunidades rurais. Era comum ver na porta da sua barbearia vários cavalos estacionados, todos dos seus clientes rurais. A atração maior da barbearia de João de Vina era seu famoso Bandolim. João tocava todos os dias e a garotada do Grupo Monsenhor Bicalho  fazia a festa após as aulas.

 

Do seu bandolim saía o som marcante de “Os Bambas do Gaspar”, “Adeus Marinha”, Hino Nacional Brasileiro, e a que mexia com a meninada, chamada “ A pulga e o percevejo”.

Esta última era a preferida do Juninho do Alvinews, nos seus tempos de criança.

 

Barbearia de Babucho e Minô.

 

No sobrado ou casa de dois andares, à direita, na parte de cima era a residência do Minô, sócio do Babucho. Na parte de baixo a barbearia do Babucho, hoje o famoso bar Ninho da Águia.

Foto do Mauro Sérvulo

 

Esta Barbearia funcionava exatamente onde hoje se encontra instalado o famoso bar “Ninho da Águia”.

Era a barbearia mais sofisticada da nossa terra, pois tinha em Babucho, além de mais jovem, alta competência para cortar um cabelo.

Eu, nos meus 12 anos de idade, fui trabalhar nessa barbearia como engraxate e faturava alto, pois a clientela era muito grande. O local estava sempre lotado.

Esta barbearia era também o ponto de encontro em Alvinópolis. Todas as gerações discutiam de tudo. Desde cinema, futebol, política, carnaval, bailes, casamentos e tudo mais que se possa imaginar.

Posteriormente essa barbearia mudou-se para um cômodo do Hotel São Geraldo, hoje residência do Cuca.

 

 

Ao lado direito o Hotel São Geraldo e a Farmácia Catete.

No primeiro cômodo a direita foi onde funcionou também a barbearia do Babucho.

Foto : Mauro Sérvulo

 

Sua última localização foi quando Babucho construiu a sua casa, hoje localizada ao lado do AFC, onde se instalou na parte de baixo da mesma.

 

Um abraço a todos alvinopolenses.

José Silvério de Carvalho (Vidrilho)

Contato : alvinews14@gmail.com ou (31) 3495-2300